Som automotivo atrai muitos, mas deve obedecer normas

Apaixonados por som potente não medem esforço e dinheiro para equipar o carro, mas é preciso atenção às regras que definem o uso dos acessórios

som automotivo

Hoje é Carnaval. E Carnaval tem de ter música alegre, agitada, “pra cima”. Por isso, nessa data, carro com som alto na rua não é nada incomum. Mas também quem não gosta de dirigir curtindo uma boa música, não é mesmo? O som automotivo é um dos acessórios mais procurados por quem compra um veículo. Quando não é um item de série, as chances do comprador pedir para incluir o aparelho ou instalá-lo em lojas do ramo são muito grandes. Há diversos modelos para atender desde o consumidor que busca apenas o conforto de dirigir ouvindo suas músicas favoritas, até aquele que quer transformar o carro quase em uma balada sobre rodas.

kit somO kit básico geralmente inclui o aparelho de som e quatro alto-falantes. Querendo ampliar um pouco mais a potência e qualidade do som, é possível investir em um conjunto de peças um pouco mais caras, que incluam amplificador, subwoofer e até central multimídia. O aparelho pode ter versões com DVD, entrada USB e bluetooth, que permite a conexão direta com smartphones.

Já se o objetivo é tremer o carro ao ligar o som, é preciso investimento na instalação de (vários e grandes) alto-falantes e subwoofers, geralmente acomodados no porta-malas, em caixas de madeira. Nesses casos, quanto mais alto o som, melhor. Para que possam exibir toda a potência dos equipamentos, geralmente são organizados campeonatos de som, os chamados “rachas”. Nessas competições, dois carros são colocados lado a lado, e disputam entre si. Um juiz faz a medição com aparelhos e julga quem tem o som mais potente.

Infringir decibéis gera multa
central multimidiaQuem tem som potente deve ficar atento às normas tanto do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), quanto das Secretarias de Meio Ambiente de cada cidade. Ultrapassar os limites de ruído pode resultar em multa. Mas, para que a fiscalização e aplicação de penalidade ocorra, é preciso de uma denúncia à Polícia Militar (PM), pelo 190.

O CTB, determina que o equipamento de som seja utilizado em volume ou frequência autorizada pelo Contran, que estabelece o nível de pressão sonora máximo de 80 decibéis, que é medido a sete metros do veículo. O artigo 228 diz que usar no veículo equipamento com som em volume ou frequência que não sejam autorizados pelo Contran é infração grave, gera cinco pontos na carteira de motorista, multa de R$ 127,69 e possibilidade de retenção do veículo até a regularização.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s